3 Possíveis atitudes do irmão do filho pródigo [qual seria a sua?]

Se você estivesse no lugar do irmão do filho pródigo qual seria sua atitude? Reflita nisso com este estudo bíblico.

A parábola do filho pródigo é uma passagem muito conhecida na Bíblia, muito lida nas igrejas, e o que poucos notam dessa parábola é a finalidade que Jesus teve ao contá-la.

Quero te convidar a refletir nessa finalidade de Jesus ao contar essa história neste estudo bíblico sobre a parábola do filho pródigo.

Neste contexto o Mestre está fazendo uma crítica aos fariseus e líderes religiosos que criticavam a atitude de Jesus receber publicanos e pecadores e comer com eles.

Repare no início da conversa de Jesus com os fariseus e mestres da lei em Lucas 15: 1-3:

“Todos os publicanos e pecadores estavam se reunindo para ouvi-lo.

Mas os fariseus e os mestres da lei o criticavam: “Este homem recebe pecadores e come com eles”.

Então Jesus lhes contou esta parábola:” (Lucas 15:1-3)

Jesus é criticado por sua postura e logo após começa a contar três parábolas como forma de crítica pela rejeição aos pecadores que precisavam de Deus.

As três parábolas são: a parábola da ovelha perdida, da dracma perdida e por fim a do filho pródigo.

Se você já conhece esta parábola já sabe que um filho pede sua parte da herança ao pai, vai se aventurar no mundo e gasta tudo o que tinha.

Não tendo mais recursos para sobreviver passou grande necessidade.

Quando não tinha nem o que comer arrependeu-se e voltou ao seu pai que o recebeu de braços abertos, pois já o aguardava, e festejou o seu retorno.

A ira do irmão mais velho ao ver a recepção feita para o filho pródigo

O filho mais velho encheu-se de ira e não quis entrar. Então seu pai saiu e insistiu com ele.

Mas ele respondeu ao seu pai:

‘Olha! todos esses anos tenho trabalhado como um escravo ao teu serviço e nunca desobedeci às tuas ordens.

Mas tu nunca me deste nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos.

Mas quando volta para casa esse teu filho, que esbanjou os teus bens com as prostitutas, matas o novilho gordo para ele!’ “

Disse o pai: ‘Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu.

Mas nós tínhamos que celebrar a volta deste seu irmão e alegrar-nos, porque ele estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado’ ”.” (Lucas 15:28-32 NVI)

As características do irmão do filho pródigo eram as mesmas dos religiosos a quem Jesus contava a parábola, por isso ele se demonstrou tal ira contra seu irmão.

A Bíblia não diz qual foi a atitude do irmão mais velho depois que seu pai falou com ele pedindo-lhe que entrasse para receber seu irmão.

Talvez porque Jesus deixou que os fariseus e doutores da lei com quem ele falava decidissem o que iriam fazer de sua rejeição aos pecadores necessitados de arrependimento.

Vejamos agora 3 possíveis atitudes que o irmão do filho pródigo poderia ter tomado após a conversa com seu pai e vamos examinar com nossa vida o que temos feito diante de situações semelhantes a essa.

irmão do filho pródigo - o que voce faria em seu lugar

#1 Ele se acha santo demais, continua irado, se isola e não vai receber ao seu irmão.

Daí por diante a rotina do irmão mais velho continua a mesma e ele não se reconcilia com o mais novo, simplesmente vive como se ele não existisse.

Isto já faziam os religiosos que Jesus estava criticando ao contar essa parábola do filho pródigo.

Podemos com isso examinar nosso comportamento com relação aos pecadores.

Temos nós rejeitado a estes considerando que somos santarrões que não podemos nos misturar com qualquer um?

Ou temos o mesmo comportamento do Filho de Deus que quebrou as barreiras do preconceito e aproximou-se deles levando-os ao arrependimento de pecados e à reconciliação com Deus?

#2 Ele continua irado e, saindo dali, vai desabafar sua indignação com seus amigos (v. 29)

Esta é mais uma daquelas situações em que ficamos irados e queremos logo desabafar com alguém. Acredito que todos nós já tivemos tal atitude, não é mesmo?!

Com este desabafo o irmão do filho pródigo levanta calúnias contra seu irmão e seu pai, instalando uma guerra na família que se estende por muito tempo após este feito.

O que fazemos quando vemos um pecador, conhecido nosso, entrando para igreja?

Começamos a fazer comentários da vida dele para os demais irmãos em Cristo e logo todos o olham com rejeição ou o recebemos e o incentivamos a permanecer firme na fé, se santificando?

#3 Ele joga seu ego (ou orgulho) no chão

Reconhecendo que teve um sentimento errado para com seu irmão e seu pai, vai recebê-lo e ajudá-lo a reviver.

Pratica o que está escrito em Efésios 4: 31, veja:

““Quando vocês ficarem irados, não pequem”. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha e não deem lugar ao Diabo.” Efésios 4:26-27 https://www.bible.com/bible/129/EPH.4.26-27

Esta era a atitude que Jesus esperava dos fariseus e mestres da lei.

Pois este é o intuito deles tornarem-se mestres no que fazem:

Levar os pecadores a reconhecerem que existe um Único e Verdadeiro Deus, e ao arrependimento mediante a confissão de pecados para a santificação conforme o conhecimento das Sagradas Escrituras.

Infelizmente o egoísmo e a “panelinha” tem ganhado destaque em muitas de nossas igrejas evangélicas.

Muitas são as pessoas que querem, e algumas que tentam se aproximar de Deus, mas devido a comportamentos como este do irmão mais velho do filho pródigo não conseguem prosseguir.

Lembremo-nos da advertência que Jesus havia dado aos líderes religiosos de sua época com relação à sua religiosidade:

“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens!

Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo.” (Mateus 23:13 NVI)

A pergunta é: Temos nós sido religiosos também? Você tem sido?

Examine cada comportamento seu ao longo de sua vida cristã e responda para si mesmo esta pergunta.

Leia mais sobre a religiosidade exagerada lendo o tópico 12 do artigo 21 Características que todo verdadeiro cristão deve ter (Clique para ir direto ao tópico).

Aprendendo o que significa misericórdia e andando como Jesus

É muito bom estar no ambiente da igreja onde os irmãos vivem em paz e comunhão, características que atraem a presença de Deus a nós.

Mas precisamos tomar muito cuidado e nos policiar para que não caiamos na cegueira espiritual de não enxergar quantos pecadores ainda necessitam de arrependimento e salvação.

A igreja de Cristo perderá seu real propósito e se tornará um frio ajuntamento de pessoas religiosas se não continuar a fazer discípulos e ser rica em misericórdia, perdão e boas obras, veja:

“Estando Jesus em casa, foram comer com ele e seus discípulos muitos publicanos e pecadores.

Vendo isso, os fariseus perguntaram aos discípulos dele: “Por que o mestre de vocês come com publicanos e pecadores?”

Ouvindo isso, Jesus disse: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes.

Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’.

Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores”.” (Mateus 9:10-13 NVI)

Livremo-nos do fermento dos fariseus e da religiosidade oculta dentro de nós (Mateus 16: 5-12).

Compartilhe este estudo com seus irmãos em Cristo e edifique mais ainda a igreja do Senhor através do ensino da Palavra.

Deus abençoe sua vida!

 

Aprenda a desenvolver o hábito de estudar a Bíblia. Desfrute de uma verdadeira transformação em sua vida!

Gabriel Filgueiras

Cristão desde novembro de 2006 e Professor da Escola Bíblia Dominical desde julho de 2008, faço parte da Terceira Igreja Batista de Rio das Ostras, RJ. Minha missão é fazer que as pessoas cresçam passando a elas o que já aprendi e mostrar que todo cristão precisa entender bem a Bíblia Sagrada (2 Timóteo 2: 15).

Website: http://wp.me/P7fxRD-dd

Deixe seu comentário